quarta-feira, 15 de maio de 2013

Ser mãe não significa deixar de ser mulher

    Ser mãe é a mais fascinante experiência na vida de uma mulher. Não importa a idade em que a mulher se torna mãe, a felicidade gerada pela chegada de um filho enriquece a vida de qualquer mulher. Desde a mais simples faxineira a mais sofisticada executiva de uma empresa.
    Os pensamentos, preocupações e expectativas da mulher nesse momento ficam voltadas para a chegada do filho. Na contramão desses sentimentos descontrolados está o parceiro, o pai. Ele  acaba sendo um coadjuvante nesse momento, podendo ser esquecido tanto pela mulher como pelas pessoas próximas ao casal. É para ele que a mulher também  deve voltar suas atenções, principalmente em momentos de mudança como o de se esperar um filho. 
    A mulher recebe todo o tipo de agrados e privilégios por estar grávida, mas quando nasce o bebê nós mulheres passamos a ser "a mãe do bebê". De tanto ouvir que por sermos mães temos responsabilidades com a criança, que devemos ficar todo o tempo disponíveis para ela acabamos por deixar de lado a mulher que sempre existiu, tanto para nós mesmas como para o parceiro.
    Nessa situação o homem vai se distanciando cada vez mais, e a mãe dia a dia vai se entregando mais a tarefa de ser uma mãe plena, total. Nos tornamos somente a mãe, afinal de contas não podemos falhar... O pior momento nessa situação é quando a mulher já não se cuida mais, não encontra mais tempo entre o trabalho e os filhos para estar bonita para o seu parceiro e para ela mesma.
    Para ser mãe e mulher é preciso dedicar um tempo para você e para seu parceiro.Não deixe seu relacionamento esfriar até o ponto que ele corra o risco de acabar por causa do filho. Se você depois de uma ou duas gestações se sentir feia, converse com o seu parceiro. Seja sincera com ele e encontre a mulher dentro de você!!! Respeite seu parceiro e divida com ele tarefas e responsabilidades. É importante integrar o pai e o homem na família, não deixando um vazio dentro da relação.
    É difícil, sem dúvida, mas com boa vontade e muito diálogo surgirão oportunidades para manter o relacionamento amoroso com o parceiro, e ainda ser uma mãe dedicada. É possível sim dedicar-se a uma família (filhos e mãe; marido e mulher) desde que o amor exista entre os parceiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário