quarta-feira, 21 de agosto de 2013

A hora de deixar seu filho longe da barra da saia

    Não é fácil para uma mãe zelosa deixar seu filho nas mãos de uma pessoa desconhecida para ir ao trabalho, a um curso ou mesmo para ter um jantarzinho romântico com o companheiro. Nosso sentimento diz para estarmos ao lado dele 24 horas por dia, ensinando, cuidando, dando amor e carinho. Contudo, a vida moderna muitas vezes, para não dizer quase sempre, nos impede de estar ao lado do nosso filho todo o tempo que gostaríamos.
    Diante dessa realidade, da aceitação de que precisamos sair de casa sem a presença da criança, várias dúvidas pairam em nossas cabeças: devo chamar um parente para cuidar do meu filho? E se eu contratar uma profissional? Será que já devo deixá-lo sozinho em casa? Pensamos mais em perguntas do que em respostas nesse momento... 
    Dependendo da idade de seu filho, podemos sim pensar em deixá-lo sozinho em casa. Não coloco aqui uma idade rígida, mas sim uma avaliação da idade cronológica da criança e do nível de maturidade e responsabilidade da criança em si. Algumas crianças amadurecem antes das outras, por isso a mãe precisa pesar se a criança está pronta para ficar sozinha em casa, se ela quer isso, e se estando sozinha em casa haveria algum risco dela se machucar e não poder pedir ajuda. 
    Sempre que uma criança fica sozinha em casa ela precisa ter em mãos maneiras de contatar um adulto responsável, para que em casos de emergência ela não fica desamparada. Dessa forma damos autonomia para ela, sem indicar um abandono. Desenvolvemos responsabilidade ao mesmo tempo em que acolhemos, para que a criança amadureça emocionalmente sem traumas e sem se sentir sozinha, sem ter com quem contar.
    Para crianças que ainda não podem ficar sozinhas em casa, os pais precisam escolher entre um parente e uma profissional. Caso um parente seja a melhor opção, avalie se essa pessoa tem condições de cuidar de uma criança, se ela tem maturidade para ser a responsável pela casa e pela vida de um pequeno ser humano. Outro fator que precisamos levar em consideração é o nível da relação do parente com o menino, pois deixar uma criança em casa ao lado de uma pessoa que ela não tem empatia não será a melhor das experiências para o pequeno. 
    Por fim, caso a escolha seja contratar uma profissional nunca se esqueça de ter referências concretas sobre o trabalho dessa pessoa. Jamais coloque qualquer um em casa, pois nunca sabemos o que pode se esconder atrás de um belo sorriso. Converse pessoalmente ou por telefone com os últimos empregadores dessa pessoa, faça perguntas pertinentes sobre forma de trabalho, cuidado e postura... Todo cuidado é pouco! 
    Após refletir sobre esses aspectos, e tomar os cuidados necessários,saia de casa tranquila! E curta a sua vida sabendo que você está proporcionando ao seu filho o melhor cuidado possível!

Nenhum comentário:

Postar um comentário