quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Meu filho será aquilo que eu não consegui ser!!!

    É muito difícil para qualquer um lidar com frustrações que, inevitavelmente, fazem parte das nossas vidas. Principalmente frustrações ligadas a um projeto de vida, a um sonho que gostaríamos de ver realizado ao longo do tempo e que, por algum motivo, não pôde ser concretizado. Se frustrar faz parte da vida, sendo de certa forma positivo viver esse sentimento, porém descarregar essa frustração nas pessoas ao nosso redor é muito negativo. 
    Muitos pais chegam a uma certa idade e se dão conta que seus sonhos não puderam ser concretizados. O carro dos sonhos, a casa grande ou mesmo a profissão tão desejada não puderam ser construídos ao longo do tempo. Essa  realidade é muito dura de ser encarada, e muitas pessoas fogem dessa constatação esperando que alguém venha concretizar esse sonho para elas. Dentro de casa essa cena também ocorre quando os pais acabam cobrando o filho para realizar seus sonhos individuais.
    Quantas vezes vemos pais insistindo em escolinhas de futebol para que o filho se torne um craque, mesmo quando o menino não gosta de futebol ou não tem talento para tanto... Mães que querem ver suas filhas se tornando miss... Pais que não aceitam o lado artístico de seu filho, porque querem que ele seja um executivo...
    O filho acaba sendo a salvação do sonho fracassado dos pais, cabendo a ele se tornar o jogador de futebol, o empresário bem sucedido ou mesmo aquele que será o líder do bairro, o que poderá curtir a vida adoidado sem se preocupar com o amanhã. Os pais precisam ter a consciência que o sonho dos filhos não precisa ser o mesmo sonho dos pais. Que os filhos precisam perseguir seus próprios sonhos, não aqueles que os pais perseguiram e não conseguiram alcançar.
    Permita que a criança descubra seus próprios sonhos, que os expresse para nós. Quando ela tiver clareza do que quer, cabe a nós, adultos, incentivar esse sonho e dar todo o suporte necessário para ajudá-la a perseguir essa meta e ser bem sucedida. Aceitar a criança do jeito que ela é, aceitar cada pedacinho de seu sonho é o papel dos pais. Não cobre dos filhos fazer algo que nós, pais, não conseguimos fazer. Cabe a nós perseguir nossos sonhos, permitindo que nossos filhos persigam os deles.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário