quarta-feira, 13 de novembro de 2013

A rotina agitada dos nossos filhos

    Ninguém melhor do que um pai ou uma mãe para saber como é difícil estar inserido em uma sociedade tão agitada como a nossa. Conciliar os papéis de pai e mãe com essa característica da sociedade atual é, para dizer o mínimo, desesperador. Hoje em dia precisamos estar constantemente conectados a tudo e a todos, pois se não estivermos somos ultrapassados por um concorrente nosso. Ou seja, ou eu estou 24 horas por dia on line, aprendendo e assimilando as novidades, ou então estarei em desvantagem em relação ao meu vizinho. 
    Essa linha de raciocínio não se aplica somente à conexão com as redes sociais, ou as notícias do dia. Novas tecnologias são lançadas diariamente, obrigando cada um de nós a estar constantemente aprendendo, se adaptando, se desenvolvendo... Essa necessidade pode e normalmente gera ansiedade, e sem dúvida acaba eliminando o tempo de ociosidade e relaxamento que as gerações anteriores estavam acostumadas.
    Por vivermos em um mundo com essas características, e por sabermos da necessidade das crianças terem uma boa bagagem intelectual para poderem construir um futuro estável e prazeroso, muitos pais acabam matriculando seus filhos em diversos cursos, em inúmeras atividades extra curriculares... Acabando por ocupar o dia da criança com situações de competição, aprendizado e atenção excessiva. Não há nada de errado em querer que nosso filho se desenvolva, seja inteligente e sociável, mas há um limite entre o saudável e o que é prejudicial.
    O cérebro da criança ainda está em formação, por isso não consegue lidar com a ansiedade e o excesso de atividades da mesma forma que um adulto faz. Isso sem mencionar o fato que a maior parte dos adultos não consegue lidar de uma forma saudável com a ansiedade e a agitação do dia a dia. Por essa razão os pais precisam estar muito atentos a carga horária de atividades dos seus filhos.
    A criança precisa ter o momento de estudar, de relaxar, de dormir e de se divertir. Deve haver um equilíbrio entre o prazer e as obrigações necessárias para um convívio em sociedade. As crianças precisam ter uma rotina equilibrada, sem tantas agitações, para que o conhecimento aprendido ao longo das atividades de aprendizado possa ser processado de forma adequada pelo cérebro.
    Proporcionar um futuro bem sucedido para uma criança não é sinônimo de uma agenda repleta de atividades, mas sim de uma rotina equilibrada, sem excessos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário