quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Briga entre irmãos

    Todos nós sabemos que irmãos brigam por diversos motivos, sendo que as brigas podem se dar desde por um tom de voz mais elevado até por contato físico. Esse tipo de situação gera desconforto e preocupação entre os pais, porque muitas vezes o que se vê na sala de estar é uma luta sem trégua. O fato dos pais quererem que seus filhos sejam além de irmãos amigos agrava o sentimento de desconforto e preocupação, mas a atuação dos pais pode amenizar essa disputa entre os filhos.
    Muitas vezes os próprios pais podem agravar a tradicional briga entre irmãos tratando de forma diferenciada os filhos, valorizando ou menosprezando um deles. Isso acontece porque cada criança é única, e muitas vezes um de nossos filhos se parece mais conosco. Quando um pai ou uma mãe vê seu filho fazer algo que ele gosta, que ele faz no dia a dia, acaba sendo mais caloroso, mais amável com o pequeno.
    Já com o filho que se comporta de uma forma que o pai não gosta, consciente ou inconscientemente sentimentos negativos são transmitidos ao filho, mostrando à criança que o pai prefere o irmão e não a ele. Quando o filho percebe que há uma distinção, que os sentimentos dos pais são diferentes, as brigas entre os irmão começam. Eles brigam para provar que são melhores que o outro, para chamar atenção, para receber o afeto pleno dos pais.
    Os pais podem amenizar a disputa entre os irmãos tratando cada um deles de forma calorosa, mostrando com palavras e com atitudes que eles são amados. Não podemos pensar em simplesmente tratar os dois filhos da mesma forma, até porque cada criança tem suas características singulares, seus gostos e sua personalidade. Cabe aos pais valorizar cada diferença dos filhos, respeitando as características que eles apreciam mais ou menos. Aceitar o filho como ele é, e amá-los da mesma forma.
    Amar os filhos é se dedicar a cada um deles, demonstrar interesse por seus gostos. Vivenciar as diferenças entre eles através de um tempo com cada filho separadamente, além do convívio com todos os filhos. Assim, cada criança perceberá que é amada, e que não precisa disputar com o irmão a atenção e o carinho do pai.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário