quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Eu me irritei com a pessoa errada

    Nada mais difícil que chegar em casa após um dia de trabalho complicado... Atravessamos a porta ainda carregados com os sentimentos negativos produzidos e vividos por um dia estafante, e muitas vezes nem nos damos conta que ainda estamos contaminados por esses sentimentos quando entramos em contato com a nossa família. O resultado produzido por essa situação não é agradável para ninguém que está ao nosso redor...
    Sem querer fazer uma análise psicológica, ou até utilizar termos técnico, é visível para qualquer observador minimamente atento como o ser humano transfere sentimentos de uma situação para outra, sem se dar conta disso na maioria dos casos. Quando recebemos uma notícia positiva no trabalho, chegamos em casa com um outro ânimo, leves e felizes. Já quando vivemos dificuldades profissionais chegamos mais cabisbaixos, menos dispostos a conversar e sem vontade de dar risadas.
    O movimento oposto também ocorre, já que quando a casa está em harmonia e nossos relacionamentos com os membros da família estão equilibrados nossa produtividade e motivação sofrem um ganho, que parece fazer a roda da vida girar de forma mais simples, menos complicada. Essa transferência de sentimentos não ocorre somente entre ambientes distintos, mas também entre pessoas. Não é raro olharmos um filho que apresenta características semelhantes a alguém próximo e vivermos sentimentos parecidos com aqueles vividos com a pessoa em questão.
    O perigo dessa transferência reside no fato de não sabermos quando ela está atuando. Quando estamos nos divorciando, por exemplo, podemos inconscientemente transmitir ao nosso filho sentimentos vividos em relação a pessoa que está deixando de ser nossa parceira. Esses sentimentos podem ser de amor, raiva, ódio, indignação, sem mencionar a agressividade no tom de voz.
    Nessa situação acabamos atingindo, mesmo sem intenção, uma pessoa inocente que pode ser nosso filho, nosso marido ou nossos parentes. Sem mencionar transferências que podemos fazer com nossas amigas ou amigos, colegas de trabalho, vizinhos, etc. Precisamos estar atentos para que possamos viver com cada pessoa os sentimentos relativos a essa pessoa, e não relacionados a outro contexto. Assim podemos estabelecer relações saudáveis, prazerosas e genuínas que possam nos alimentar com energia para os desafios inerentes à vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário