quarta-feira, 11 de junho de 2014

Quando nossa criança é tímida

    Dificilmente nosso filho apresenta todos aqueles comportamentos que temos como ideais enquanto ele está crescendo. As vezes a criança é muito agitada, fala alto, ou mesmo chora por qualquer motivo. Contudo, a timidez acaba sendo uma característica que incomoda pais que tem um alto nível de expectativa em relação ao seu pequeno.
    Quando os pais são extrovertidos, bem sucedidos, ou apresentam características associadas à liderança; a timidez acaba sendo uma característica que gera ansiedade nos pais. Aflitos em relação ao futuro da criança, eles acabam forçando os filhos a se socializarem e os criticam por serem introvertidos ou mesmo acabam produzindo traumas quando expõem as crianças à situações que eles ainda não estão preparados para lidar.
    Não podemos dizer que a timidez é uma característica negativa, pois depende de como a criança se sente apresentando essa característica. Se a vida do pequeno ficar limitada no sentido de experiências vividas ou de sofrimento vale a pena pensar em formas de estimular a criança a se tornar menos tímida. Independente de qual seja o futuro da criança, se ela será tímida, introvertida ou extrovertida, os pais precisam estar preparados para aceitarem a criança como ela é.
    Faz parte do desenvolvimento infantil a criança se sentir insegura em diversas situações, viver momentos onde ela se comporta de forma mais introvertida. Cada criança tem seu tempo, seu jeito de ser, por isso a postura dos pais no que se refere a aceitação e auxílio será um dos determinantes de como a criança será na idade adulta. Se a atuação dos pais for no sentido de estimular a criança a encarar seus medos, inseguranças e limites, os adultos vão observar a criança se desenvolvendo sem sofrimento, sem traumas, sendo como ela é.
    Querendo ou não o maior inimigo dos pais é a própria ansiedade, pois é necessário administrar as suas expectativas em relação aos filhos para colocar na vida dos pequenos os desafios necessários e adequados para a criança se desenvolver enquanto pessoa e enquanto cidadão.         

Nenhum comentário:

Postar um comentário