quarta-feira, 9 de julho de 2014

Ouvir ou não o que a escola tem a dizer

    Quando a escola solicita a presença dos pais ou dos responsáveis para uma conversa muitos de nós não sabemos exatamente o que fazer. Será que vamos ouvir críticas ou elogios aos nossos filhos? Qual deve ser nossa postura? Ou mesmo se devemos estar presentes nessa conversa. Esse texto tem como intuito dar algumas dicas para os pais que se vêem tomados por essas dúvidas.
    Ao receber a solicitação da escola para ter uma conversa com eles é importantíssimo estar presente na escola o quanto antes. Nenhuma instituição vai querer ter uma conversa por qualquer razão, se ela foi cogitada e marcada há uma necessidade real dos pais ou responsáveis estarem presentes. Há um tema a ser discutido, e cabe aos pais responsáveis criarem um tempo dentro de suas agendas apertadas para estarem presentes à reunião. 
    Quando chegamos para ter essa conversa é importante estarmos abertos para críticas ou elogios aos nossos filhos. Quando adotamos uma postura defensiva, de não aceitar críticas, podemos perder uma oportunidade de identificar e trabalhar ao lado da escola e de seus profissionais uma característica de nossos filhos que pode prejudicá-lo no futuro. Ao ouvir uma crítica ou elogio precisamos compartilhar com a escola situações vividas dentro e fora de casa, para que possamos desenvolver uma compreensão mais ampla do comportamento e da personalidade da criança. 
    Pais e escola tem o mesmo objetivo, que é ver a criança se desenvolver e se tornar um adulto consciente e saudável. Não há inimigos nessa relação, por isso as partes envolvidas precisam dialogar, precisam se relacionar como se fosse um casamento. Obviamente há pontos concordantes e discordantes, mas as diferenças precisam ser superadas através de diálogo e vontade de ver a relação dando certo.
    Como toda relação há altos e baixos, mas é preciso um esforço de ambos para ouvir coisas boas e ruins, para superar divergências e para trabalharem em parceria. O importante é ver a criança se desenvolver de forma saudável, crescer feliz e superar suas próprias barreiras. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário