quarta-feira, 8 de julho de 2015

A autoridade entre pais e filhos

    Não é fácil para os pais se tornarem uma figura de autoridade diante dos filhos. Os pequenos acabam conhecendo melhor e sabendo usar da melhor forma possível os aparelhos eletrônicos, estão antenados com os novos meios de comunicação, conhecem e aprendem gírias com uma facilidade absurda, além é claro de estarem em contato com outras culturas idiomas o tempo todo via internet.
    Algumas gerações atrás os pais acabavam se tornando uma figura de autoridade diante dos filhos por serem os detentores do conhecimento... Como diria  uma série de televisão antiga "papai sabe tudo". Os tempos mudaram, e os adultos acabaram perdendo esse posto, ou melhor, se permitiram perder. Mesmo com as diferenças de contato com a tecnologia os adultos tem uma experiência de vida que não pode ser menosprezada.


    Em países orientais percebemos que as pessoas mais velhas são muito respeitadas dentro da sociedade, existindo uma hierarquia entre pessoas jovens e pessoas mais velhas, com a clara diferenciação entre aprendiz e mestre. Essa forma de ver os mais velhos persiste em localidades onde a tecnologia é moderna e os jovens tem acesso a praticamente tudo. Um exemplo claro é o Japão, um país onde respeito aos mais velhos é um pilar da sociedade.
    Assim sendo podemos dizer que os pais brasileiros não conseguem ter autoridade sobre os filhos não devido a tecnologia,mas sim por não se colocarem como autoridade dentro de casa. Na rotina da sua casa quem dita as regras? Crianças/adolescentes ou os adultos? Você se coloca como perante o seu filho? 
    Autoridade não é força física ou agressões, é respeito. Autoridade é ser um modelo, uma figura que seu filho olhe e possa admirar e se espelhar. Por essa razão é importante os pais serem críticos em relação ao seu próprio comportamento, porque vai partir deles as atitudes que possam produzir nos filhos os sentimentos de admiração, carinho e respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário