sábado, 14 de novembro de 2015

Dia Mundial da Diabetes



Estima-se que cerca de 10 milhões de brasileiros sejam diabéticos. Segundo dados da SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes), 41% tomam medicamentos, 29% fazem apenas dieta, 23% não seguem nenhum tratamento e 8% são dependentes de insulina.

O diabetes é uma doença crônica metabólica caracterizada pelo aumento da glicose no sangue. O distúrbio acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir a insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo. A insulina promove a redução da glicemia ao permitir que o açúcar que está presente no sangue possa penetrar as células, para ser utilizado como fonte de energia.

Por ser uma doença silenciosa, muitas pessoas só descobrem depois de muito tempo, por isso, realizar o exame de glicemia anualmente é fundamental.

Se não tratado, o diabetes pode causar insuficiência renal, amputação de membros, cegueira, doenças cardiovasculares como AVC (derrame) e infarto.

Atitudes que ajudam a controlar o diabetes

ALIMENTAÇÃO - Fazer refeições ricas em vitaminas e nutrientes é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Uma alimentação equilibrada resulta em qualidade de vida, pois ajuda na manutenção do peso, fortalece a imunidade, reduz taxas de glicose e gordura no sangue e ainda melhora a pressão arterial e o trânsito intestinal.

ATIVIDADE FÍSICA - Praticar atividade física faz bem ao corpo e a mente. Estudos comprovam que os exercícios melhoram a circulação, o metabolismo, diminui o risco de doenças cardíacas, aumenta a disposição e o bom humor. Segundo os médicos, 30 minutos diários de uma simples caminhada já são suficientes para trazer benefícios ao corpo.

TIPOS DE DIABETES

Diabetes gestacional

Surge durante a gravidez e pode ser diagnosticada num exame de glicose em jejum após as 22 semanas de gestação. Os sintomas da diabetes gestacional são semelhantes aos do diabetes tipos 2 e o seu tratamento é feito com alimentação adequada e exercícios para o controle da diabetes, já que esta tende a desaparecer após o nascimento do bebê.
No entanto, quando a glicose sanguínea encontra-se muito elevada, o médico poderá indicar o uso de hipoglicemiantes orais ou até mesmo da insulina.

Tipo I

É uma doença autoimune, geralmente diagnosticada na infância ou na adolescência, causada pela falta de insulina que leva ao acúmulo de glicose no sangue.
A diabetes tipo 1 causa sintomas, como:
  • Vontade frequente para urinar;
  • Boca muita seca;
  • Perda de peso sem causa aparente.
Normalmente, o tratamento para a diabetes tipo 1 é feito com o uso diário de insulina e alimentação sem açúcar e com baixa quantidade de carboidratos. Além disso, é importante que os pacientes mantenham a prática regular de exercício físico, sob orientação de um educador físico.

Tipo II

É um tipo de diabetes causada por fatores genéticos ou maus hábitos de vida, como consumo exagerado de açúcar, sedentarismo ou obesidade.
Geralmente, a diabetes tipo 2 pode incluir os seguintes sintomas:
  • Sensação constante de sede;
  • Muita fome;
  • Vontade de urinar frequente;
  • Dificuldade de cicatrização de feridas;
  • Visão turva.

O tratamento da diabetes tipo 2 é semelhante ao da diabetes tipo 1, mas depende do estado de saúde do indivíduo, não sendo sempre necessário o uso diário da insulina. Na maior parte dos casos, o uso de remédios orais, a alimentação adequada e o exercício físico regular, podem levar ao controlo da doença.

AstraZeneca sempre se empenhou em ações voltadas ao diabetes. Parte importante de seu portfólio é voltada a doença e várias de suas pesquisas já foram mundialmente reconhecidas nesse sentido. Para marcar o Dia Mundial do Diabetes, uma ação global, envolvendo todas as sedes da farmacêutica pelo mundo, será realizada com os colaboradores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário