quarta-feira, 2 de março de 2016

Entrevista com a Neuropediatra Alessandra Freitas Russo

Doutora Alessandra Freitas Russo é médica, neuropediatra, responsável pelo setor de Neuropediatria da AACD


Super Mãe: Conte um pouco para as nossas leitoras como é o trabalho de uma neuropediatra.

Dra. AlessandraA Neuropediatria (também denominada Neurologia Pediátrica ou Neurologia Infantil) constitui uma sub-especialidade da pediatria dedicada às doenças ou disfunções do sistema nervoso e do sistema muscular que se manifestam na criança ou no adolescente. O Neuropediatra tem como função essencial o diagnóstico, prognóstico, tratamento medicamentoso, orientação terapêutica e aconselhamento dos problemas neurológicos que afetam a criança ou o adolescente, mas a sua atividade clínica exige frequentemente um contato estreito com outros especialistas não só da pediatria ou da neurologia mas ainda da genética, neurocirurgia, psiquiatria infantil e reabilitação. 


Super MãeComo você conheceu a AACD? Como é para você trabalhar nesta instituição?


Dra. AlessandraA AACD é uma instituição de referência no tratamento da criança com deficiência, então durante a formação ela é sempre citada por professores  ou na literatura especializada. Eu me sinto honrada em trabalhar numa instituição na qual eu acredito e onde tenho a oportunidade de fazer, junto com uma equipe maravilhosa, a diferença na vida dos meus pequenos pacientes.

Super MãeQual o perfil de paciente que a doutora atende?

Dra. AlessandraAcompanhamento (neuro-puericultura) de bebês de risco (prematuros ou bebês que apresentaram qualquer problema ao nascimento), alterações no Desenvolvimento Neuro-psico-motor (DNPM), paralisia cerebral, epilepsia (convulsão), transtornos no aprendizado (dislexias, discalculia), transtornos do neurodesenvolvimento (Transtornos do espectro do autismo, deficiencia intelectual, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).


Super MãeQuais desafios profissionais a doutora encontra no dia a dia?

Dra. AlessandraSão vários, mais o maior desafio está na dificuldade do sistema  público de saúde em atender as demandas de exames complementares e medicamentos usados na minha especialidade.

Super MãeA AACD é seu único local de trabalho?

Dra. AlessandraNão. Atuo também em clínica particular e desenvolvo pesquisa de doutorado na Universidade de São Paulo

Super MãeComo está a neuropediatria no Brasil quando a comparamos com outros países?

Dra. AlessandraEmbora tenhamos enorme potencial profissional (a neuropediatria no Brasil é uma especialidade bastante forte e organizada com boa formação dos médicos atuantes), posso dizer que ainda engatinhamos quando comparados aos países da América do Norte e da Europa, especialmente na área investigativa. O acesso a exames e tratamento de ponta é muito difícil, especialmente para a população de baixa renda.

Super MãeGostaria de dizer algo mais as nossas leitoras?
Dra. Alessandra:  Não tenham  medo de procurar um neuropediatra ou de procurar a AACD. Os 5 primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento da criança. Qualquer diagnóstico realizado ou terapia iniciada nesta fase da vida terá mais resultado. Na dúvida, marque uma consulta, converse sobre suas inquietações. Eventualmente muitas situações podem ser resolvidas com uma orientação adequada. Cito como exemplo, nosso projeto Bebês de Risco, onde seguimos bebês prematuros e orientamos a família a estimular da melhor forma possível. Nossos resultados são bebês e famílias felizes e sem medo de possíveis sequelas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário