domingo, 17 de dezembro de 2017

COLÔNIA DE TECNOLOGIA É A MELHOR MANEIRA DE APROVEITAR AS FÉRIAS ESCOLARES

*Por Rafaela Matos
O período de férias escolares se aproxima, época de passear, brincar, sair da rotina e, porque não, aprender? As colônias de tecnologia trazem oportunidades para as crianças adquirirem conhecimentos fora de sua zona de conforto, de uma maneira bem imersiva e com o ensino de habilidades fundamentais para seu futuro. E o recesso escolar pode ser ideal para esse aprendizado, porque os pequenos querem algo prazeroso para seus dias de descanso.

As mudanças tecnológicas têm transformado as oportunidades de carreira e mudado o futuro. Especialistas sugerem que cerca de 65% das crianças de hoje, quando se tornarem adultas, exercerão carreiras ainda inexistentes. É essencial equipar as crianças com a programação e novas capacitações agora, aproveitando que são naturalmente curiosas e aprendem de maneira muito mais rápida.

Durante o período letivo, as escolas não conseguem explorar diversas atividades extracurriculares. Por isso devemos despertar o interesse das crianças com tarefas completamente novas, que envolvam o domínio da tecnologia, criatividade e raciocínio lógico, buscando o entusiasmo com a oportunidade de fazer algo novo e, assim, descobrindo novas aptidões. Investir em programas de colônias de férias pode ser uma opção, pois são livres de distrações e é possível focar no encorajamento desses novos interesses. Dentre seus benefícios, podemos citar:

1- Aprendizado por meio de jogos: essas colônias são ideais para as crianças que demonstram interesse e curiosidade de saber mais sobre o mundo da programação. É a oportunidade de ter um primeiro contato com a tecnologia e inovação, e por meio dos seus jogos favoritos, elas podem entender como funciona o processo de programação, desenvolver uma facilidade de aprendizado e organização de pensamentos, aperfeiçoando a escrita, trabalhar em equipe, entre outros benefícios;
2- Benefícios das atividades unplugged: esse aprendizado valioso não está apenas na programação, mas em habilidades humanas que computadores não podem replicar, como a empatia e a resolução de problemas. As colônias também ensinam conceitos de ciências da computação fora do computador. A ideia, porém, não é eliminar a tecnologia, mas mostrar para as crianças que o computador é bom e deve ser usado, porém existem atividades relacionados a tecnologia, tão divertidas quanto, fora das telas;
3- Conhecimento por meio da socialização: ao longo do aprendizado, a socialização é o maior resultado obtido. É possível conviver e trabalhar com crianças que têm os mesmos interesses. A facilidade de se relacionar estimula novas amizades com confiança e independência, em atividadescriadas para realmente exploram a criatividade, livre de julgamento, sem o medo de falhas, e com um acompanhamento pedagógico suportando todo esse processo.
As colônias também permitem a prática de regras de convivência. O ambiente é estruturado para que as crianças comportem de modo socialmente adequado no ambiente escolar, tratando com respeito os professores e colegas. São transmitidas normas que ajudarão a criança a aprender a conviver com os outros, respeitando e se integrando à sociedade, seja na família, na escola ou com os seus amigos. São atitudes importantes para que o seu filho seja um adulto feliz e saiba se relacionar com os outros de forma saudável e positiva.

Ainda que seja uma novidade no país, assim como o ensino de programação para crianças, as colônias de férias têm potencial para que gradualmente sejam adotadas pelas instituições de educação, que vêm desempenhando um papel importante de inovação e certificando que seus programas ajudem a desenvolver essas capacidades tão importantes. E aí, o que acha de investir nesse tipo de programa para as férias?

*Rafaela Matos, pedagoga da Happy Code, escola de tecnologia e inovação para crianças e adolescentes de 5 a 17 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário