domingo, 22 de abril de 2018

Santander é uma das melhores empresas para mulheres trabalharem no Brasil, diz GPTW


*     Elas já representam 60% do total de 46 mil funcionários do Banco no país;
*     Meta é ter 30% de mulheres em posições executivas em 2019.

A consultoria Great Place to Work divulgou na noite de ontem a da Lista das Melhores Empresas para a Mulher Trabalhar. O Santander se destacou, na 12ª posição. A iniciativa é motivada pelos avanços conquistados para a igualdade de gêneros no ambiente de trabalho.


A consulta, realizada com as funcionárias das empresas, leva em conta o clima organizacional e preenchimento, pelas empresas participantes, de um perfil demográfico e um questionário direcionado a entender as ações em prol das Mulheres. É a segunda edição do ranking que reconhece as empresas que possuem práticas de gestão e iniciativas pela equidade de gênero nas organizações.

No caso do Santander, elas já representam 60% do total de colaboradores. Mais do que isso, há o propósito de elevar a representação feminina na liderança executiva. Há metas definidas para medir os avanços e o objetivo é alcançar 30% de mulheres em posições executivas em 2019. Entre a gerência geral de agências, 42% já são mulheres. E a CEO Mundial, Ana Botín, é outra liderança feminina fundamental.

Segundo a superintendente executiva de Diversidade, Fátima Gouvêia, “o reconhecimento deve ser comemorado, mas com a consciência de que ainda queremos fazer muito mais. Esta e outras ações estão alinhadas com o propósito de ser uma Instituição mais plural, com equidade e meritocracia, possibilitando que as pessoas e negócios prosperem”.

Contou para o bom desempenho do Banco as parcerias com o Movimento Mulher 360; Mulheres do Brasil e a adesão aos Princípios de Empoderamento das Mulheres, iniciativa da ONU Mulheres e do Pacto Global da ONU. Com essas atividades, a Instituição participa e estimula a discussão sobre avanços em práticas empresariais.
“Estudos apontam que, caso não haja uma mudança, serão necessários 81 anos para ter equidade entre mulheres e homens nas lideranças das organizações. Não queremos esperar todos esses anos!", afirma Vanessa Lobato, vice-presidente de RH do Santander.

Nenhum comentário:

Postar um comentário