quarta-feira, 17 de julho de 2019

Psicopedagoga orienta como tornar crianças sociáveis


A psicopedagoga Regina Lima diz que para tornar crianças e jovens sociáveis deve-se estabelecer interações sábias e harmoniosas, através do exemplo. No entanto, segundo ela, é importante respeitar o vivenciar infantil do mundo que os cerca.
"Deve-se perceber que a criança tem sua história de vida com valores, aspirações, e saberes alternativos, ainda que fragmentados e que vive com restrições impostas pela sociedade. Considerando que ela aprende a lidar com as satisfações imediatas é importante, então, entender que todos têm os seus direitos e privilégios, bem como seus deveres e responsabilidades", ressalta Regina Lima.
A especialista diz que nesse sentido, as normas deixam de ser vistas apenas como prescrições e sim como condição necessária ao convívio social independente da idade que se tenha. "Isso favorece a internalização de preceitos que levam o menor a uma atitude autônoma já que o orienta e baliza suas relações", explica a psicopedagoga.
Regina Lima pondera que as habilidades sociais dizem respeito às relações pessoais, ao caráter e à atitude. De acordo com ela, associadas a muitos fatores sociais e culturais e por vezes são formadas através do contato com pessoas que admiramos, direta e indiretamente por meio de leitura, filmes, entre outras vivências e interações.
"Se um tipo de relacionamento não tem se mostrado eficaz, vale a pena modificar as atitudes e procedimentos. Um ser social precisa se ajustar a certos padrões de conduta. É o equilíbrio entre o que a criança deseja e as limitações colocadas pela sociedade que vai possivelmente aumentar as chances de ter uma conduta eficaz em novas situações", observa a especialista.
Regina Lima - Professora e Especialista em Psicopedagogia e Altas Habilidades pela UERJ - Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Trabalhou por mais de 40 anos como Coordenadora Educacional e Disciplinar lidando, ao longo desse período, diretamente com mais de 20.000 alunos. Liderou, por 12 anos um projeto que ajudou a educar crianças e adolescentes através de dinâmicas executadas em 24 disciplinas. É coautora do livro Inclusão Educacional - Pesquisa e Interfaces e associada à ABP - Associação Brasileira de Psicopedagogia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário