Sugestão Super Mãe

Sugestão:  Três ferramentas para reestruturar o relacionamento familiar

Best-seller Gary Chapman e Shannon Warden trazem insights bem-humorados para melhorar a harmonia do lar

Ser pai e mãe não é tarefa fácil. Ainda, manter a família unida, as crianças educadas, o cônjuge feliz e colocar “a casa em ordem” exige dose extra de força de vontade. Com a aproximação entre os casais, pais e filhos, durante o isolamento social, o convívio familiar se pôs a prova. Alguns descobriram uma ótima relação, já outros, perceberam que precisam de uma reforma interior para evitar futuras crises.

Ao pensar em soluções para as famílias que desejam implementar uma nova cultura familiar, o best-seller Gary Chapman e a escritora Shannon Warden lançam o livro Faça você mesmo: Guia prático para reformar sua família. Publicado no Brasil pela Editora Mundo Cristão, a obra traz ferramentas eficazes para que esposas, maridos, pais e mães possam reestruturar os sentimentos.

Para isso, Chapman e Warden contam vivências pessoais e apresentam passo a passo de como usar as ferramentas certas para implementar estratégias de conexão e melhoria do equilíbrio emocional das famílias. Veja três dos 12 insights presentes na obra Faça você mesmo para melhorar a cooperação no lar e mãos à obra:

1 - Edificar a gentileza

Meta de melhoria - demolir o egoísmo: o egoísmo na família também faz com que se sintam sufocados pela falta de tempo e de espaço. Por isso, o desenvolvimento da compreensão é importante para a melhoria, e a primeira ferramenta básica para incentivar as pessoas a colocarem em sua caixa de ferramentas para a reforma do lar é a gentileza.

2 - Aumentar a gratidão

Meta de melhoria - diminuir o desrespeito: em algumas situações, o desrespeito é sentido no coração. A forma como escolhem reagir aos padrões de desrespeito vai aprimorar ou corroer os relacionamentos. Para proteger e melhorar as relações, é preciso cuidar dos familiares e valorizá-los, assim como se cuida dos pisos novos de uma casa.  Com isso em mente, é preciso acrescentar à caixa de ferramentas de melhorias do lar a gratidão. Por que a gratidão? As pesquisas têm demonstrado recorrentemente que a gratidão contribui para a saúde física e mental, para o aumento da satisfação de vida e para o fortalecimento dos relacionamentos.

3 - Cultivar o amor

Meta de melhoria – remover a apatia: muitas famílias precisam lidar com a apatia, que é uma barreira mais comum e mais facilmente removível, se quiserem desfrutar de relacionamentos novos e aperfeiçoados. Se a família está lidando com as paredes da apatia em casa, Chapman incentiva: derrube essas paredes! Para isso, acrescente mais amor na caixa de ferramentas de melhoria no lar. Ao elevar o amor, as pessoas e os entes queridos serão capazes de aumentar o que se tornou um espaço emocional apertado entre eles. Nada de deixar o outro para fora! É hora de derrubar as dolorosas paredes do “eu não me importo”.

Ficha técnica:
Título: Faça você mesmo
Subtítulo: Guia prático para reformar sua família
Editora: Mundo Cristão
Autores: Gary Chapman e Shannon Warden
Categoria: Família
ISBN: 978-65-86027-94-5
Páginas: 224
Preço: R$ 54,90
Onde comprar: Amazon e E-commerce MC

Sobre os autores:

Gary Chapman: desde a década 1970, o Dr. Gary Chapman vem investindo no estudo de como potencializar a alegria, satisfação e compreensão quando se trata de relacionamento humano. Autor do celebrado best-seller As cinco linguagens do amor, traduzido para 32 idiomas, Chapman acredita que "o amor não depende exclusivamente das emoções. Amor é o que você faz e diz, não apenas o que você sente".

Site:
http://www.5lovelanguages.com/


Redes Sociais:
Facebook | Twitter

Shannon Warden: professora de aconselhamento na Piedmont International University, em Winston-Salem, Carolina do Norte. É casada com Steven, com quem tem três filhos.

Site:
https://www.shannonwarden.com/

Redes Sociais:
Facebook Twitter | YouTube | Instagram





Sugestão: Livro aborda de forma inédita no Brasil o tema da "maternidade independente", um novo arranjo familiar sem a figura do pai por decisão da mulher


Autora faz um mergulho profundo e biográfico, e defende que ser mãe independente com a ajuda da coragem, ciência e tecnologia não é um objetivo de vida, mas uma opção de exercer o direito à maternidade de um jeito não convencional

 

O assunto ainda é bastante novo no Brasil, a começar pela pouca legislação, cheia de lacunas, e por uma bibliografia praticamente inexistente. Mas a sociedade sai na frente, e de uns anos para cá mais e mais mulheres brasileiras têm procurado clínicas de reprodução assistida de todo o país com uma decisão tomada: ser mãe solo, ou independente, utilizando o sêmen de um doador de um banco especializado. Uma dessas mulheres, a consultora especializada em marketing Bettina Boklis, foi além da opção pessoal corajosa e resolveu relatar a experiência em um livro, com o título “Maternidade independente - Um jeito diferente de formar uma família”, que acaba de ser lançado pela Editora Jaguatirica.

 

A proposta é ajudar outras mulheres que queiram seguir o mesmo caminho, inclusive com depoimentos íntimos da autora e de outras mães independentes, além de vários especialistas, abordando os aspectos psicológicos, médicos, científicos, econômicos, legais e sociais que envolvem essa aventura. Mas o livro também é voltado para homens, profissionais da área de saúde e interessados em geral nas tendências do comportamento humano que estejam curiosos em conhecer mais a fundo um fenômeno que ocorre no mundo todo.

 

“Com uma mistura de coragem e fé, gerei uma filha, o amor da minha vida, a Catharina, por meio de reprodução assistida e com ajuda de material genético de um doador anônimo. Essa é a história de como me tornei uma mãe independente por opção, sem um parceiro, sem um pai para ajudar a criar a minha filha. O mais interessante, relembrando o passado, é constatar que a intuição foi minha grande guia”, escreve Bettina.

 

Catharina tem hoje sete anos e a autora relata, além da experiência muito difícil de tomar a decisão de formar uma família diferente, tudo aquilo que vem depois, ou seja, como educar, como lidar com a escola, a comunidade composta principalmente de famílias no formato tradicional e, mais que tudo, como responder à ansiada pergunta: “mamãe, quem é o meu papai?”.

 

Por pretender ser também um guia, o livro traz ainda muita informação sobre o passo a passo para se tornar uma mãe independente, dá dicas sobre congelamento de óvulos, finanças, tutoria e demais medidas práticas a serem tomadas, conta a história da evolução da medicina na área reprodutiva desde o primeiro “bebê de proveta”, mostra como funciona por dentro um banco de sêmen e orienta na escolha do doador. Enfim, a obra contribui, com um foco bem original, para um debate bastante aceso hoje em dia que envolve o empoderamento feminino. "O objetivo é jogar luz a um tema ainda pouco explorado e, ao mesmo tempo, levar esperança às mulheres que ainda sonham em ser mães”, diz Bettina.

 

Sobre a autora:

 

Bettina Boklis, 50 anos, é carioca radicada em São Paulo, formada em Comunicação Social, com 28 anos de experiência nas áreas de marketing e vendas. Sempre atuou em grandes multinacionais e hoje tem sua própria consultoria de marketing. Aos 42, tomou a decisão que dividiu sua vida em antes e depois: partiu para um projeto de maternidade independente por opção, com o auxílio de técnicas de reprodução assistida e de um banco de sêmen. Após algumas tentativas, gerou Catharina. A experiência foi tão transformadora e pioneira que a fez dar voz a esse tema ainda pouco explorado no Brasil e a levar esperanças às mulheres que ainda sonham em ser mães. Primeiro, lançou o site “maternidadeindependente.com.br”, levando conteúdo e estabelecendo conexão com mulheres que quase não tinham informação a respeito. Mais tarde, o projeto cresceu através das redes sociais. Agora, é a vez do livro.

 

Serviço:

Título: Maternidade independente: Um jeito diferente de formar uma família - Um guia com informações, insights e depoimentos para mulheres solteiras que estão cogitando ou escolheram ser “mães independentes

 

Autora: Bettina Boklis

ISBN 9786586324358

160 páginas

Livro físico, preço: R$ 55,90

E-book, preço: R$ 19,90

Disponíveis no site editorajaguatirica.com.br, Amazon, Google Play Livros, Apple iBooks Store, Kobo, Storytel, Livraria Travessa e Livraria Cultura

Preço promocional / livro físico: R$ 45,00 com frete grátis e estoque limitado, no site maternidadeindependente.com.br

 

Editora Jaguatirica, Rio de Janeiro, 2021

Site: editorajaguatirica.com.br

Fb: /editorajaguatirica

Ig:@editorajaguatirica





Sugestão: "Os Meninos Maluquinhos": uma homenagem à infância

Nova geração de autores homenageia Ziraldo e seu personagem mais icônico

Há 40 anos surgia um garoto que usava panela na cabeça, tinha o olho maior que a barriga, fogo no rabo e vento nos pés. Diziam que ele era maluquinho, mas a verdade é que era apenas um menino feliz e especialmente comum. Um dos maiores clássicos da literatura infantil criado pelo escritor, desenhista, cartunista e jornalista Ziraldo, O Menino Maluquinho trouxe mais do que um garoto alegre e brincalhão, ele representa a infância das gerações que cresceram influenciadas por suas aventuras.

Não à toa, o clássico e o autor acabam de ganhar uma homenagem inédita e muito especial. Os Meninos Maluquinhos, lançamento da Editora Melhoramentos, traz oito contos de escritores da nova geração que uniram suas vivências e paixões na construção de diferentes personagens inspirados na obra de Ziraldo. São eles Fábio Yabu, Cristino Wapichama, Guga Mafra, Gustavo Reiz, Load Comics, Rafael Calça, Raphael Draccon e Vitor Cafaggi.

´´Hoje, o conceito de infância está muito mais aberto do que há 40 anos, isso nos permite falar de vários tipos de infância e de vários meninos maluquinhos. Tem um que nasce na quebrada, outro que foi conhecer uma aldeia indígena, um que é órfão, temos até um robô. No final, o que importa é que são todos meninos felizes e que, mesmo com as maluquices, se tornam homens bons no futuro``, afirma Fábio Yabu, responsável por organizar e ilustrar a obra

Em seu conto, Yabu traz uma infância nostálgica que navega entre memórias, gibis e super-heróis. Com uma linguagem delicada e envolvente, a história acende lembranças e emoções da época em que os maluquinhos do bairro éramos nós. "Assim como eu, o Ziraldo ama o Capitão Marvel e brinca com essa paixão de forma sutil em suas obras. Quis fazer uma homenagem, uma carta de amor."

Ao buscar escritores para a coletânea de contos, Yabu quis abranger uma diversidade de vivências e públicos, como Load Comics, influenciador digital e criador de um dos maiores canais sobre HQs do YouTube brasileiro. Seu conto traz um menino que nasceu na periferia e acompanha o esforço diário dos pais para garantir o básico aos filhos: casa e comida. Ao observar as dificuldades da família, vemos que os sonhos e os heróis podem mudar de contexto e de composição, mas nunca deixam de existir.

No mesmo estilo nostálgico que Yabu, Vitor Cafaggi, um dos nomes mais importantes da indústria nacional de quadrinhos, conta a história de um menino que amava os sábados, pois era o dia da semana em que ele mais podia ser criança. Já Guga Mafra, apresentador do "GugaCast", um dos dez podcasts mais ouvidos no Brasil, traz à tona os clubinhos da infância e o desafio de aceitar a chegada de um irmãozinho.

O roteirista e ilustrador Rafael Calça fala sobre um menino órfão que acompanha os dilemas das crianças à espera de um lar e aprende que palavras são poderosas e podem curar feridas como em um passe de mágica. Gustavo Reiz, um dos autores mais jovens de telenovelas do País, traz em um poema as aventuras de um robô maluquinho "ultramegassuperconectado", com rodinhas nos pés, aplicativos na barriga e comandos de voz para acessar o mundo.

O Menino Dragão, que se aventurava entre desenhos japoneses e jogos de RPG, é o personagem criado por Raphael Draccon, um dos maiores escritores nacionais da nova geração. Mas nem todos os maluquinhos desta coletânea se aventuram pela cidade. Cristino Wapichana, autor de livros infantis e descendente da tribo Wapichana, traz um menino branco que conhece pela primeira vez uma tribo indígena e faz uma amizade muito especial.

Seja qual for a história, a vivência ou trajetória, para ser maluquinho basta ser feliz.

Ficha técnica

Obra: Meninos Maluquinhos
Organizador e Ilustrador: Fábio Yabu
Número de páginas: 96
Altura: 23 cm
Largura: 15,5 cm
ISBN: 978-65-5539-297-5
Preço sugerido: R﹩ 45,00

Sobre a Editora Melhoramentos

A Melhoramentos é um grupo que atua em diferentes segmentos há mais de 130 anos, e se posiciona como agente de transformação no mundo, realizando, empreendendo e sendo protagonista do futuro em seus negócios. A editora Melhoramentos, fundada em 1915, assim como as demais empresas do grupo tem um legado que atravessa gerações. Acredita em seu papel de estimular mudanças e desafiar. Busca, através da cultura e do entretenimento, levar conhecimento, inspirar as pessoas, e provocar transformações.




Sugestão:  Sucessos do cinema indicados ao Oscar 2021 chegam na Claro

Filmes como "O Som do Silêncio" e "Meu pai", que tem sua estreia na plataforma simultânea com os cinemas, podem ser assistidos pelos clientes da Claro no NOW, NOW Online ou app NOW


Diversas produções indicadas ao Oscar 2021 e muito aguardadas pelos amantes do cinema já estão disponíveis para os clientes da Claro assistirem por meio do NOW, plataforma de streaming da operadora. Entre os destaques, está o filme O Som do Silêncio, que recebeu seis indicações, dentre elas a de "Melhor Filme" e "Melhor Edição".

A história narra a virada repentina na vida de Ruben, protagonizado pelo ator Riz Ahmed, um baterista de heavy metal que perde a audição. Incapacitado para exercer sua função na turnê ao lado da namorada, ele encontra um custoso tratamento médico, mas precisa aprender a lidar com sua nova realidade, enquanto junta dinheiro para a despesas. Ahmed se tornou o primeiro ator muçulmano indicado na categoria de "Melhor Ator".

Durante o mês de abril, o NOW recebe o filme Meu Pai, indicado em seis categorias, dentre elas a de "Melhor Filme" e "Melhor Ator" para Anthony Hopkins. O ator assume o posto de mais velho a receber uma indicação na categoria. O longa, que tem estreia prevista para o dia 7 de abril, conta a história de um homem idoso que recusa toda a ajuda de sua filha à medida que envelhece. Ela está se mudando para Paris e precisa garantir os cuidados dele enquanto estiver fora, buscando encontrar alguém para cuidar do pai. Ao tentar entender suas mudanças, ele começa a duvidar de seus entes queridos, de sua própria mente e até mesmo da estrutura da realidade.

O longa Druk: Mais uma Rodada é mais um destaque da maior premiação do cinema e que já está no catálogo do NOW. Concorrendo na categoria de "Melhor Filme Internacional", o longa dinamarquês é construído na história de um grupo de professores do ensino médio que decide testar a teoria de que serão mais felizes se mantiverem constantemente um pouco de álcool no sangue. Ainda na mesma categoria, o drama Quo vadis, Aida?, com estreia prevista para o dia 19 de abril, retrata de forma angustiante e íntima a história real do último genocídio europeu reconhecido pelo Tribunal de Haia: o massacre de Srebrenica, em 1995. Além desses, o live-action de Pinóquio, indicado nas categorias de "Melhor Figurino" e "Melhor Maquiagem e Cabelo", tem sua estreia prevista na plataforma de streaming no dia 21 de abril.

Outro destaque é o filme Tenet, indicado pela academia nas categorias de "Melhores Efeitos Visuais" e "Melhor Design de Produção". O longa conta com o protagonismo de Robert Pattinson e John David Washington e traz a história de um agente secreto que embarca em uma missão para evitar o início da Terceira Guerra Mundial. A produção está disponível no NOW para assistir quando e de onde quiser. Além desse, o longa Emma apresenta a história de Emma Woodhouse, uma jovem rica e inteligente, que não possui o sonho de se casar tão cedo para ficar sempre perto do pai. Porém, isso não a impede de dar uma de 'casamenteira', tentando juntar casais que considere apropriados entre seus conhecidos, sem perceber os problemas causados com sua imaginação e teimosia. A produção foi indicada nas categorias de "Melhor Figurino" e "Melhor Maquiagem e Cabelo".

Todos os conteúdos do NOW podem ser acessados pelos clientes da Claro pelo site nowonline.com.br ou app NOW para dispositivos móveis e tablets. Os assinantes que contrataram pacotes de TV da operadora também desfrutam da opção de assistir através do canal 1 do controle remoto.

Os clientes Claro que possuem a Netflix contratada em seu pacote de TV por Assinatura já podem conferir aos mais de dez filmes indicados em diversas categorias. Entre eles está o filme Mank, que recebeu mais de dez indicações, é um dos favoritos a vencer o maior prêmio da noite, o de "Melhor Filme". O longa conta a história tumultuosa de Herman J. Mankiewicz, roteirista da obra-prima icônica de Orson Welles, "Cidadão Kane" e sua luta contra Welles pelo crédito do texto do grandioso filme.

Outros filmes aparecem na lista de indicados, são eles: A Voz Suprema do Blues; Os 7 de Chicago; Era uma Vez um Sonho; Pieces of a Woman; Relatos do Mundo; Rosa e Momo; Shaun O Carneiro - O Filme - A Fazenda Contra-Ataca; Crip Camp - Revolução pela Inclusão; Destacamento Blood e A Caminho da Lua.

Clientes dos plano móvel pós-pago da operadora podem usufruir do benefício Extraplay, uma franquia de dados exclusiva para consumo de filmes e séries no NOW, com mais conforto no uso da sua internet móvel. O Extraplay dobra a quantidade de dados do plano e são para uso exclusivo nos aplicativos de streaming de vídeo compatíveis com a funcionalidade, incluindo o próprio NOW, YouTube, Claro Video, Netflix.





Menino Maluquinho e Ziraldo comemoram o Dia Internacional da Síndrome de Down, ao lado de Chico e suas Marias

A primeira das 9 histórias com aventuras inclusivas, escritas por Manuel Filho, foi lançada no  21 de março quando o mundo inteiro celebrou essa data

Nasce uma amizade que fará história e trará frutos para toda a sociedade. A turma do Menino Maluquinho, maior sucesso editorial de Ziraldo, ganhou novos integrantes. Ao lado de Chico, um menino com síndrome de Down, e de suas duas irmãs mais novas, Maria Clara e Maria Antônia, a turminha vai mostrar a pais, filhos e professores como a inclusão é um assunto urgente e prioritário.

O trio que integrará as novas aventuras tem um portal de conteúdo e entretenimento chamado Chico e suas Marias, que conta o dia a dia das crianças e os desafios da deficiência intelectual, além de dicas de saúde, educação e cultura. A mãe das crianças, Thaissa Alvarenga, é publicitária e largou uma promissora carreira no mercado imobiliário para levar informação às famílias de pessoas com deficiência por meio do portal e da ONG Nosso Olhar. O projeto tem apoio do Caioba Soccer Camp, projeto liderado do ex-jogador e comentarista esportivo Caio Ribeiro, que tem a proposta de usar o futebol como ferramenta de transformação social.

A união das crianças com o Menino Maluquinho resultou em nove histórias de autoria de Manuel Filho, supervisionado por Ziraldo. Elas serão distribuídas em e-books e em versão impressa em vários pontos, gratuitamente. A Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down (FBASD) apoia o projeto e vai entregar as cartilhas para os 38 associados em todo o Brasil.

O projeto foi lançado no Dia Internacional da Síndrome de Down, em 21 de março. Durante o desenvolvimento da ideia, a equipe de Ziraldo realizou um profundo estudo sobre os detalhes da rotina de Chico e das Marias para construir tramas fiéis ao dia a dia de uma criança com trissomia 21.

"O Menino Maluquinho fala de maneira direta, poética e divertida de relações familiares, de amizade, afeto, perdas. E por isso, porque os sentimentos humanos não mudam, os novos tempos e as novas tecnologias não foram e nem são barreiras para novos leitores. O Menino Maluquinho está cada vez mais atual e pode levar a ideia da inclusão", afirma Manuel.

Segundo Thaissa, as histórias são uma oportunidade de mostrar como as diferenças podem conviver bem. "De forma simples e lúdica, serão abordados temas ligados ao universo das pessoas com deficiência - principalmente as deficiências intelectuais, como a síndrome de Down."

Desde seu lançamento, em 1980, o livro já teve 129 edições espalhadas por mais de 10 países, vendeu 4 milhões de exemplares, teve duas adaptações para o cinema, versões para o teatro, ópera e histórias em quadrinhos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário