top of page
  • blogsupermae

5 Dicas de segurança no uso da internet pelas crianças


Image by Freepik



Atualmente o Brasil é o 5° país com mais usuários de internet no mundo. Uma pesquisa realizada pelo Comitê Gestor de Internet do Brasil revelou que dos 149 milhões de usuários de internet no país, cerca de 62% (92 milhões) acessam a internet apenas pelo celular. Outro fato relevante é que, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do fim de 2022, o número de domicílios com acesso à internet no Brasil chegou a 90%. A tecnologia está cada vez mais presente na rotina de todas as pessoas, e possibilita atualmente o controle de diversos dispositivos eletrônicos nos lares, provendo comodidade e facilidades. Seja pelo fácil acesso à internet ou ainda pela constante exposição a aparelhos eletrônicos, muitos pais têm se preocupado com a relação cada vez mais precoce entre crianças e tecnologia. Um levantamento recente apontou que as crianças e adolescentes brasileiros têm pouca ou nenhuma supervisão dos pais sobre suas atividades na internet. Segundo a pesquisa feita pela TIC Kids Online Brasil, referência na análise do comportamento digital entre crianças e adolescentes, 47% dos pais de crianças e adolescentes não acompanham as atividades dos filhos nas redes sociais. Confira 5 dicas de segurança para o uso da internet de crianças e adolescentes: 1. Mantenha um diálogo aberto É muito importante para os pais conversar abertamente com seus filhos sobre os cuidados que devem ser tomados na internet, como o compartilhamento de informações pessoais, envio de fotos e vídeos e alertá-los sobre os perigos que podem ser encontrados disfarçados de armadilhas. Conversas sadias sobre como foi o dia da criança, saber se ela fez alguma nova amizade e que tipo de conteúdo anda pesquisando são um bom início. 2. Avalie o tempo de utilização da internet e os tipos de conteúdo online Além de ser prejudicial para a saúde, a exposição da criança ou adolescente às telas por muito tempo pode representar um sinal de alerta, principalmente se a utilização for durante a madrugada, período em que acontece a maior parte dos golpes ou, dependendo do site, pessoas com más intenções acabam se aproveitando e realizando crimes pela internet. É de extrema importância acompanhar o histórico de navegação para entender quais cuidados tomar. 3. Ative a busca segura e instale antivírus Não só crianças e adolescentes estão suscetíveis a estes perigos, mas com cada vez mais “golpes” na internet, muitas vezes seus filhos podem acabar clicando por curiosidade em links suspeitos ou maliciosos que direcionam para vírus capazes de roubar informações e prejudicar a rotina de todos na casa. É essencial ter um antivírus atualizado e ativar a busca segura para evitar acesso a sites que contenham conteúdos suspeitos ou impróprios. 4. Observe o comportamento durante o dia Deve fazer parte da rotina acompanhar o comportamento dos seus filhos, independente do uso do celular. Caso note alguma mudança de comportamento pode ser um sinal de alerta de que algo está acontecendo em seu convívio social, e uma das possibilidades é a utilização da internet e as pessoas que a criança está se relacionando ou trocando mensagens. Busque prestar atenção nas pequenas atitudes e mínimos detalhes para ficar alerta e evitar que algo se prolongue. 5. Utilize a tecnologia a seu favor - aplicativos de controle parental Hoje em dia existem aplicativos que auxiliam os pais em todos os pontos listados acima. Sabendo da dificuldade de controlar o uso da internet na sua casa e a partir de um problema que enfrentava com seu filho de 10 anos, Heitor Hákime, CEO da CodeBit, empresa de tecnologia, desenvolveu o CodeWall, aplicativo que permite a administração e controle do uso da internet nas residências. A solução permite aos pais gerenciar o tempo de internet dos filhos, visualizar e bloquear acessos indesejados, além de registrar o histórico de uso dos dispositivos. Mais do que fornecer segurança e tranquilidade, ainda é possível estabelecer uma nova rotina para ganhar mais tempo para valorizar as relações entre as pessoas da família.

14 visualizações0 comentário
bottom of page